A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO EM TIMOR LESTE: A NECESSIDADE DE UM NOVO MODELO

Abílio António Freitas Belo

Resumo


A avaliação do desempenho docente em Timor Leste constitui uma peça-chave do sistema educativo timorense que declara, de acordo com a Lei de Bases da Educação (2008), que o ensino superior está orientado para o desenvolvimento dos recursos humanos nacionais. As instituições de ensino superior são, assim, chamadas a prestar um serviço público mais alargada e, simultaneamente, mais eficiente e com melhores resultados.

Contudo, a avaliação de desempenho dos docentes das instituições de ensino superior público decorre segundo os mesmos critérios e procedimentos que são aplicados na avaliação do desempenho dos demais funcionários da administração pública timorense.

Este artigo pretende argumentar a necessidade de implementar nas instituições de ensino superior um instrumento de avaliação que atenda às especificidades e aos objetivos do ensino superior público, preenchendo assim uma lacuna no estudo da avaliação do desempenho dos docentes em Timor Leste.


Texto completo:

PDF

Referências


ALTBACH, P. G. (1998) Comparative Higher Education: Knowledge, The University and Development. Hong Kong, Comparative Education Research Centre, The University of Hong Kong.

ALBERGARIA ALMEIDA, P., MARTINHO, M. & CABRITA, I. (2014). Evaluating The Impact Of Restructuring Secondary Education In East Timor. WCLTA. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 141, pp. 665-669.

ALBERGARIA ALMEIDA, P., MARTINHO, M. & LOPES, B. (2013). Teacher Professional Development in the Context of International Cooperation: opportunities and challenges. In Y. Bashevis & Y. Weidenseld (Eds.). Professional Development: Perspectives, Strategies and Practices (pp. 147-164). New York: Nova Publishers.

ASSAÉL, J., & PAVEZ, J. (2008). La construcción e implementación del Sistema de Evaluatión del Desempeño Docente Chileno. Revista Iberoamericana de Evaluatión Educativa, 1, 2, pp.41-55.

BAKER, J. (2000). Evaluating the Impact of Development Projects on Poverty – A Handbook for Practitioners. World Bank: Washington D. C.

BARATZ-SNOWDEN J. (1991). Performance assessments for identifying excellent teachers: The National Board for Professional Teaching Standards charts its research and development course. Journal of Personnel Evaluation in Education 5, 2, pp. 133-145.

BEAUMONT, P.B. (1993). Human Resource management: Key concepts and skills. London: Sage Publication.

BERLIE, Jean A. (2007). Schooling inTimor Leste, in Postiglione, Gerard A. and Tan, Janson (Ed.) Going to School in East Asia. Westport, Connecticut and London: Greenwood Press, pp.401-412.

BOUCKAERT, G. (1996). Measurement of Public Sector Performance: Some European Perspectives, in A. Halachmi and G. Bouckaert (eds.) Organisational Performance and Measurement in the Public Sector, pp. 223–37. London, Quorum Books.

BOUCKAERT, G. & HALLIGAN, J. (2008). Managing Performance: International Comparisons. London, Routledge/ Taylor and Francis.

BOYNE, G. A., KENNETH J. M., O'TOOLE Jr., L. J. & WALKER, R. M. (Ed.) (2006). Public Service Performance: Perspectives on Measurement and Management. Cambridge, Cambridge University Press.

BRASKAMP, L.A. & ORY, J.C. (1994). Assessing faculty work: Enhancing individual and institutional performance. San Francisco: Jossey-Bass Publishers.

BOLÍVAR, A. (2007). Um olhar actual sobre a mudança educativa: onde situar os esforços da melhoria? In C. Leite, A. Lopes (Eds.), Escola, currículo e formação de identidades: Estudos de investigação (pp. 13-50). Porto: Edições Asa.

CARR, D. & LITTMAN, I. (1990). Excellence in Government: Total Quality Management in the 1990s. Arlington, VA: Coopers and Lybrand.

CARTER, N. (1998) ‘On the Performance of Performance Indicators’, pp. 177–94, In M-C. Kesler, P. Lascoumbes, M. Setbon, and J.-C. Thoenig (Ed.) E´valuation des politiques publiques. Paris, L’Harmattan.

CARVALHO, R. (1998). Avaliação de serviço público: a avaliação na administração pública. In Encontro INA, Lisboa, 1998 - A avaliação na administração pública: acta geral do 1º Encontro INA. Oeiras.

COUTTS, L. M. & SCHNEIDER, F. W. (2004). Police officer performance appraisal systems: How good are they?, in Policing: An International Journal of Police Strategies & Management, 27, 1, pp.67-81.

COE, C. (2003). A Report Card on Report Cards. Public Performance Management Review, 27, 2, pp.53-76.

CHISM, N. V. N. (2004). Characteristics of effective teaching in higher education: Between definitional despair and certainty. Journal of Excellence in College Teaching, 15, 3, pp. 5-36.

DANIELSON, C. (2010). Melhorar a prática profissional. Um quadro de referência para a docência. Lisboa: Ministério da Educação.

DAY, C. (2010). Formas de avaliação docente em Inglaterra: Profissionalismo e Performatividade. In M. Flores (Ed.), A avaliação de professores numa perspectiva internacional: Sentidos e implicações (pp. 141-161). Porto: Areal Editores.

DAY, C. (2007). A reforma da escola: Profissionalismo e identidade dos professores. In Maria Assunção Flores & Isabel Carvalho Viana (Orgs.), Profissionalismo docente em transição: As identidades dos professoresem tempos de mudança (pp. 109-129). Braga: Universidade do Minho (CIED).

DE KETELE, J. (2010). A avaliação do desenvolvimento profissional dos professores: Postura de controlo ou postura de reconhecimento? In M. Alves, E. Machado (Eds.), O pólo de excelência - Caminhos para a avaliação do desempenho docente (pp. 13-30). Porto: Areal Editores.

DESIMONE, L. M. (2009). Improving impact studies of teachers' professional development: Toward better conceptualizations and measures. Educational Researcher, 38(3), pp. 181-199.

DESSLER, G. (2009). Human Resource Management. Prentice Hall, Fifth Edition.

FLORES, M. (Eds.) (2010). A avaliação de professores numa perspectiva internacional: Sentidos e Implicações. Porto: Areal Editores.

FLORES, M. (2009). Da avaliação de professores: Reflexões sobre o caso português. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, 2, 1, pp. 239-256.

FORMOSINHO, J., MACHADO, J., & FORMOSINHO, J. (Eds.) (2010). Formação, desempenho e avaliação de professores. Mangualde: Edições Pedagogo.

GOLDRICK, L. (2002). Improving Teacher Evaluation to Improve Teaching Quality. National Governors Association.

GYÖRGY, H. (2004). The spirit of management reforms: towards building an explanatory model of NPM. A comparative case study of Queensland and Hungarian administrative culture. Public Management Review, 7, 4, pp. 495-513.

HOOD, C. (1991). A Public Management for all Seasons. Public Administration, 69, 1, Spring, pp. 3-19.

HOOD, C. (1996). Exploring Variations in Public Management Reform of the 1980s’ (pp. 268-317). In H. Bekke, J. Perry, and T. Toonen (Ed.) Civil Service Systems in Comparative Perspective. Bloomington and Indianapolis, Indiana University Press.

HORTON, D. & MACKAY, R. (1999). Evaluation in developing countries: an introduction. Knowledge, Technology & Policy, 11, pp. 5-12.

KA-HO, M. (2003). Similar Trends, Diverse Agendas: Higher education reforms in East Asia. Globalisation, Societies and Education, 1:2, pp. 201-221.

KNAPPER, C & CRANTON, P. (Ed.) (2001). Fresh approaches to the evaluation of teaching. New Directions for Teaching and Learning, 88.

MILLO, J. & BARNETT (2004). Educational development in East Timor. International Journal of Educational Development 24, pp. 721-737.

MOREIRA, M. (2011). O lugar da observação na avaliação docente: O que vale o que observamos? In M. Alves, M. Flores, E. Machado (Eds.), Quanto vale o que fazemos? Práticas de avaliação de desempenho (pp. 17-38). Santo Tirso: De Facto Editores.

MOREIRA, M. (2009). Supervisão interpares, avaliação e autonomia profissional. ELO, 16, 37-41. A avaliação de desempenho docente na perspectiva dos directores escolares: um estudo empírico 189.

MOUNT, M. (1984). Satisfaction with a Performance Appraisal Systsem and Appraisal Discussion. Journal of Occupational Behaviour 5, 4, pp. 271-279.

MOURO, E. (2000). Gestão dos recursos humanos- influenciam e determinantes do desempenho. Lisboa: Edições Sílabo

MURILLO, J. (2007). Uma visão panorâmica da avaliação de desempenho docente na Europa e na América. In C. Ramos (Ed.), Avaliação de professores: Visões e realidades. Actas da Conferência Internacional (pp. 33-42), Lisboa: Conselho Científico para a Avaliação de Professores.

NEVO, D. (2005). The conceptualization of educacional evaluation: an analytical review of the literature. In E. House (Ed.), New Directions in educational evaluation (pp. 15-29). Oxon: Routledger Falmer.

NYRENDA, S. (1994). Assessing Highly Accomplished Teaching: Developing a Metaevaluation Criteria Framework for Performance-Assessment Systems for National Certification of Teachers. Journal of Personnel Evaluation in Education 8: pp. 313-327 Kalamazoo, The Evaluation Center, Western Michigan University.

OCDE (2005). Modernising Government: The Way Forward. Paris, OECD.

OSBORNE, D. & GAEBLER, T. (1992) Reinventing Government (Addison Wesley, Reading MA).

PACHECO, J. A., & FLORES, M. A. (1999). Formação e avaliação de professores. Porto: Porto Editora.

PERRY, J. L (2010). A Strategic Agenda for Public Human Resource Management Research. Review of Public Personnel Administration, 30 (Edição original, 16 novembro de 2009).

POLLIT, C & BOUCKAERT, G. (2011) Public Management Reform. A Comparative Analysis—New Public Management, Governance, and the Neo-Weberian State, 3ª ed. Nova Iorque, Oxford University Press Inc.

SCHEERENS, J., GLAS, C. & TOMAS, S. M. (2003). Monitoring and evaluation (M & E) in education: concepts, functions and context. Educational Evaluation, Assessment and Monitoring, 1, pp. 3-16.

STRONGE, J. (2010). O que funciona, de facto, na avaliação dos professores: breves considerações. In M. Flores (Ed.), A avaliação de professores numa perspectiva internacional: Sentidos e implicações (pp. 22-43). Porto: Areal Editores.

STUFFLEBEAM, D. L. (2008). Egon Guba’s conceptual journay to constructivist evaluation: a tribute. Qualitative Inquiry, 14, pp. 1386-1400.

STUFFLEBEAM, D. L. & Shinkfield, A. J. (2007). Evaluation theory, models and applications. São Francisco, Jossey-Bass.

TARDIF, L., & FAUCHER, C. (2010). Um conjunto de balizas para avaliação da profissionalização dos professores. In M. Alves, E. Machado (Eds.), O pólo da excelência: Caminhos para a avaliação do desempenho docente (pp. 32-53). Porto: Areal Editores.

DOCUMENTOS NORMATIVOS

CRD-TL (2012). Constituição da República Democrática de Timor Leste. Publicação Oficial da República Democrática de Timor Leste, 20 de Maio de 2012.

Lei n.º 14/2008, de 29 de Outubro. Aprova a Lei de Bases da Educação de Timor Leste. Publicação Oficial da República Democrática de Timor Leste, Série 1, Nº 40.

Decreto-Lei N.º 14/2008, de 7 de Maio. Regime da Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da Administração Pública. Publicação Oficial da República Democrática de Timor Leste, Série

Decreto-Lei nº 19/2011, de 8 de Junho. Aprova a Segunda Alteração ao Decreto-Lei N.º 14/2008, de 7 de Maio (Regime da Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da Administração Pública). Publicação Oficial da República Democrática de Timor Leste, Série 1, Nº 21.

PED (2011). Timor Leste. Plano Estratégico de Desenvolvimento 2011-2030. Dili, República Democrática de Timor Leste.

DRET (Democratic Republic of East Timor) (2009). The Millenium Development Goals, Timor-Leste. Timor-Leste National Report.

DRET (Democratic Republic of East Timor) (2011). Timor-Leste National Strategic Development Plan 2011-2030. Dili, East Timor.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.